Escola Bauhaus

Publicidade

A Bauhaus foi uma escola de arte vanguardista da Alemanha. Foi uma das maiores e mais atuantes fomentadoras do que hoje é conhecido como Modernismo no design e na arquitetura, sendo também considerada a primeira escola de design do mundo. Iniciou suas atividades na década de 20, e sua influência foi tão inovadora que tem desde então servido como referência para artistas, designers e arquitetos de todas as partes do mundo, apesar de ter encerrado suas atividades apenas 13 anos depois.

Sede da Bauhaus

Sede da Bauhaus

A escola foi fundada por Walter Gropius em 12 de Abril de 1919. O arquiteto se inspirou nas vanguardas modernistas da Europa, o que o instigava a tornar a escola a principal referência do movimento modernista. A intenção primária era fazer da Bauhaus uma escola combinada de arquitetura, artesanato, e uma academia de artes, e isso acabou sendo a base de muitos conflitos internos e externos que se passaram ali.

A maior parte dos trabalhos feitos pelos alunos nas aulas-oficina foi vendida durante a Segunda Guerra Mundial. A Bauhaus tinha sido fortemente subsidiada pela República de Weimar. Após uma mudança nos quadros do governo, em 1925 a escola mudou-se para Dessau, cujo governo municipal naquele momento era de esquerda. Uma nova mudança ocorre em 1932, para Berlim, devido à perseguição do recém-implantado governo nazista.

Em 1933, após uma série de perseguições por parte do governo nazista, a Bauhaus é fechada, também por ordem do governo. Os nazistas opuseram-se à Bauhaus durante a década de 1920, bem como a qualquer outro grupo que não seguisse sua orientação política.

A escola foi considerada uma frente comunista, especialmente porque muitos artistas russos trabalhavam ou estudavam ali. Escritores nazistas como Wilhelm Frick e Alfred Rosenberg clamavam abertamente que a escola era “anti-Germânica,” e desaprovavam o seu estilo modernista.

Contudo, a Bauhaus teve impacto fundamental no desenvolvimento das artes e da arquitetura do ocidente, e também dos Estados Unidos, Israel e Brasil nas décadas seguintes – para onde se encaminharam muitos artistas exilados pelo regime nazista.

A Cidade Branca de Tel Aviv, em Israel, que contém um dos maiores espólios de arquitetura Bauhaus em todo o Mundo, foi classificada como Patrimônio Mundial em 2003.

A escola Bauhaus também influenciou imensamente a América do Sul, tendo como seu principal representante o arquiteto Oscar Niemeyer. A jovem capital brasileira, Brasília, foi projetada em 1957 sob as tendências modernas e funcionalistas inauguradas pelo bauhasianismo. Todo o plano-piloto, incluindo tanto os edifícios residenciais quanto as construções públicas, são exemplos e ícones desta visão.

O principal campo de estudos da Bauhaus era a arquitetura e procurou estabelecer planos para a construção de casas populares baratas por parte da República de Weimar. Mas também havia espaço para outras expressões artísticas: a escola publicava uma revista chamada Bauhaus e uma série de livros chamados Bauhausbücher. O diretor de publicações e design era Herbert Bayer.

Fabrica Fagus - Walter Gropius

Fabrica Fagus – Projetada por Walter Gropius anos antes de criar a Bauhaus

O Movimento Bauhaus

O design e a arte moderna surgiram principalmente no final da Primeira Guerra Mundial (1918), expandindo-se para diversas partes do mundo e exercendo forte influência sobre a escola de arquitetura Bauhaus.

No início da criação da Bauhaus, Walter Gropius analisou o tipo de design que os holandeses e os russos estavam desenvolvendo, e acrescentou a tecnologia ao objetivo inicial da Escola Bauhaus. Segundo ele, os desenhos arquitetônicos deveriam ser produzidos em grande escala e para todo o tipo de público.

Entre as principais características da escola Bauhaus, destacam-se:

  • A utilização de materiais como aço, vidro e madeira;
  • A junção do artesanato e da arte;
  • A arquitetura integrada ao urbanismo;
  • A funcionalidade dos produtos;
  • A influência do construtivismo.

Mesmo sendo fortemente influenciada pelo funcionalismo pregado por arquitetos como Louis Sullivan, que proferiu a famosa frase – A forma segue a função – a Escola buscava o funcionalismo que atendesse de forma objetiva as necessidades humanas, sem que isso permitisse que seus resultados se tornassem entediantes e meramente sistemáticos.

Com o fechamento da Bauhaus somente após 13 anos após sua abertura, a escola seguiu – e segue – influenciando a arquitetura e o design contemporâneos. O olhar racional, o funcionalismo em primeiro lugar, o uso de materiais diferenciados, sem esquecer a composição visual final dos projetos, são algumas das características da escola Bauhaus de Arquitetura, as quais são facilmente encontradas nos dias de hoje em diversas peças de mobiliário e utensílios.

Nomes importantes da Bauhaus

A Escola Bauhaus era formada por profissionais de diferentes áreas. Além de designers e arquitetos, também faziam parte da equipe engenheiros, pintores e artistas industriais, mesclando com isso as tendências inovadoras de cada setor.

Apesar de seu quadro de colaboradores ser repleto de excelentes artistas e profissionais dos mais variados campos, alguns deles em específico fizeram a diferença na Bauhaus e se tornaram verdadeiros ícones da arte do século XX.

Paul Klee e Wassily Kandinsky são alguns dos destaques da Bauhaus.

Entre os arquitetos da Bauhaus, destaque para Mies van der Rohe, além, é claro, do Próprio Walter Gropius.

Veja mais nomes importantes da escola Bauhaus:

  • Gerhard Marks | Escultor alemão (1889-1981);
  • Johannes Itten | Pintor e escritor suiço (1888-1967);
  • Josef Albers | Designer alemão (1888-1976);
  • Laszlo Moholy-Nagy | Design e pintor húngaro (1895-1946);
  • Marcel Breuer | Designer e arquiteto húngaro (1902-1981);
  • Oskar Schlemmer | Pintor alemão (1888-1943);
  • Paul Klee | Pintor e poeta suíço  (1879-1940);
  • Wassily Kandinsky | Artista plástico russo (1866-1944).

Ícones da Bauhaus

Apesar de ter seu quadro formado por muitos arquitetos, os projetos que se tornaram ícones da Bauhaus, e que são recorrentemente lembrados, são objetos e utensílios menores. Isto demonstra a importância da escola para o estabelecimento do Design como importante área da cultura material contemporânea.

Conheça alguns dos mais conhecidos projetos desenvolvidos na Bauhaus:

abajur bauhaus

Abajur Bauhaus

Abajur: a peça, criada por William Wagenfeld, é feita de metal e vidro cortado. É um dos produtos que mais representam a fase tecnológica da Bauhaus.

Cadeira Barcelona

Cadeira Barcelona

Cadeira Barcelona: desenvolvida na Bauhaus em 1929 por Ludwig Mies van der Rohe e Lily Reich, a conhecida cadeira Barcelona foi uma das pioneiras no que diz respeito à mobília moderna.

Cadeira Wassily

Cadeira Wassily

Cadeira Wassily: entre todas as cadeiras da escola Bauhaus, talvez essa seja uma das mais famosas. Desenvolvida por Marcel Breuer, o design da Cadeira Wassily, assim nomeada em homenagem ao seu colega Wassily Kandinsky, e também denominada Cadeira Presidente, se tornou referência de estética racional, porém atraente, alcançada através do funcionalismo pregado pelo movimento Bauhaus.

Maçaneta Bauhaus

Maçaneta Bauhaus

Maçaneta: desenvolvida pelo fundador da instituição alemã, Walter Gropius, a famigerada maçaneta Bauhaus é caracterizada pelas formas industriais e geométricas que tanto representam a escola.

Chaleira Bauhaus

Chaleira Bauhaus

Chaleira: Criado em 1924 por Marianne Brandt, o infusor de chá da Bauhaus tem um filtro embutido, bico que não goteja e asa resistente a calor feita de ébano, abraçando os princípios da escola de combinar funcionalidade com estética.

As pinturas de Kandinsky

Um trabalho que se formou na Bauhaus e que depois se tornou ícone de um estilo artístico, foi o do artista Wassily Kandinsky. A Kandinsky é normalmente creditado o pioneirismo na arte abstrata.

Wassily Kandinsky - Intersecting Lines - 1923

Wassily Kandinsky – Intersecting Lines

Lecionou arte e arquitetura na tradicional escola de design, Bauhaus, de 1922 até o fechamento ordenado pelos nazistas em 1933. De lá, ele foi para a França, onde viveu até o fim da vida, tornando-se cidadão francês em 1939, produzindo grande parte de sua vasta obra.

Kandinsky também foi um teórico da pintura. Possui alguns livros como Do Espiritual na Arte e Ponto e Linha sobre Plano, super recomendados aos interessados no tema.

Saiba mais

Wikipedia

VivaDecora

O que restou da Bauhaus 100 anos depois?

Publicidade